24°C 34°C
Araguaína, TO
Publicidade

Moradores da Arso 43 recebem agentes de endemias durante dia D de combate a dengue

Mutirão reuniu também equipes da Seisp para limpeza da quadra

29/01/2024 às 10h41
Por: Redação Fonte: Prefeitura de Palmas - TO
Compartilhe:
Ponto inicial do dia D foi realizado na quadra da praça - Fotógrafo:Gabriela Letrari/Ascom Semus
Ponto inicial do dia D foi realizado na quadra da praça - Fotógrafo:Gabriela Letrari/Ascom Semus

O primeiro dia D de combate a dengue deste ano, organizado pela Secretaria Municipal da Saúde (Semus), foi realizado na manhã deste sábado, 27, na Arso 43 (407 Sul). Moradores da quadra receberam os agentes comunitários de endemias (ACS) para vistorias das residências e orientações de prevenção aos criadouros do mosquito Aedes aegypti. Para auxiliar ainda no auxílio da limpeza de quintais, áreas verdes e lotes baldios, foi realizada uma parceria com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seisp).

A mobilização começou na praça para a retirada de restos de construção, madeiras e demais descartes irregulares encontrados na praça. A Seisp utilizou dois caminhões e duas máquinas pá carregadeiras durante os trabalhos e enquanto a equipe limpava, os agentes de endemias visitavam casa por casa. O empresário Eduardo Galvão mantém o quintal organizado, o ACS fez poucas ressalvas para detalhes que podem passar despercebidos no dia a dia. “Eu não gosto de bagunça e manter tudo limpinho também deixa o ambiente mais bonito, só vou me atentar mais para esses locais que o agente mostrou.”

A dona Célia Regina e o esposo Francisco das Chagas, 67 e 70 anos respectivamente, moram há 23 anos na quadra e são bem cuidadosos com o quintal. “Eu já peguei chikungunya e antes disso já tinha o hábito de limpar tudo, agora redobramos o cuidado e, sempre que possível, também tentamos cuidar da quadra como um todo. Semana passada nós fizemos a limpeza do lote ao lado que estava com muito lixo que alguns moradores jogam”, contou dona Célia.

O ACS Lusmar Pereira destaca que o mais importante nessas ações é ensinar para o morador como funciona o ciclo de vida do mosquito e o tempo de cada fase. “Um mosquito dura 30 dias, mas nesse período ele pode transmitir doenças para, no mínimo, 80 pessoas, então é um número muito alto”. O advogado Rolf Vidal, de 33 anos, parabenizou a gestão pela ação e reforçou que este é um trabalho de todos. “O cuidado de prevenção da dengue, antes de ser individual, é um dever coletivo. Eu cuido da minha família, cuido da minha comunidade e essa responsabilidade é para todos”, pontuou o morador.

Texto:Semus Palmas
Edição:Secom
 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.